Home, Asia, Europe, North America, Latin America and Caribbean, Oceania, Notícias, Mapa do site
Início / World / Suas Histórias
lendo mapa..
A seção de experiência vivida é toda sobre você! Compreendemos que a realidade de um país pode ser muito diferente das leis existentes em tal país e que as pessoas que lá vivem podem dar um retrato melhor disso através de suas próprias experiências. Nesta página você encontrará experiências vividas por leitores e adicionar sua própria.

SUAS HISTÓRIAS
Publique / adicione uma nova história a esta seção

Experiências do Leitores

Isto é o que as pessoas dizem acerca da realidade de vida para pessoas LGBTI neste país ( WORLD )...
ordene por: [mais recentes] [mais popular]

Histórias: 1-50

eliseu (actualmente vive em BRAZIL) postado por gay leitores para a BRAZIL página do país on 08/04/2013 tagged with ensinar direitos lgbt nas escolas
link / elo permanente
ola boa tarde.
Estou realiando pos doutoramento em Coimbra e estou estudando o tema uniao civil homoafetiva e outras formas de casamento fora da convencional. Vez por outra vem a tona o assunto adoçao por estes casais. Estou procurando dados sobre adoçao homoafetiva, e alguem souber, agradeço se me informar.
que tipo de dados procuro:
se o casal e casado ou nao; brasileiro ou estrangeiro, qtuantos criançasadotoaram, idades delas na adoçao, cor, quanto tempo vivem junto.
ha uma enquete no meu faceb se quiserem partilhar o endereço e este:
https://apps.facebook.com/minhas-enquetes/?fb_source=bookmark_apps&ref;=bookmarks&count;=0&fb;_bmpos=4_0


grato a todos/as
Comente a história
link / elo permanente
Aqui em nosso país, há uma restrição para que os homossexuais não doem sangue. Desde Novembro do ano passado, deflagramos uma campanha de doação de sangue, a partir dos membros da nossa ONG, informando nas rádios e jornais que não existe sangue bom ou ruim, existe sangue oriundo de comportamento de risco que tanto pode ser de heterossexuais ou não.
Comente a história
Rita de Cássia de Araújo (actualmente vive em BRAZIL) postado por gay lésbica leitores para a BRAZIL página do país on 09/04/2011 tagged with ensinar direitos lgbt nas escolas, viol锚ncia e crimes de 贸dio , direitos humanos
link / elo permanente
O GRUPO LÉSBICO DE GOIÁS ESTA ATUANDO NA PROTEÇÃO E ORIENTAÇÃO DE TODAS AS MULHERES ,LÉSBICAS ,HETERAS,IDOSAS ENFIM TODAS AS MULHERES ,NOSSAS VITÓRIA :CONSEGUIMOS A CRIAÇÃO DA CASA ABRIGO DE GOIANIA,PARA ABRIGAR,PROTEGER,PROFISSIONALIZAR TODAS AS MULHERES QUE SOFREM AGRESSÕES,CRIAMOS O PROJÉTO A.L.M.A.S QUE VISA DAR CURSOS DE DEFESA PESSOAL A TODAS QUE SOFREM AGRESSÃO,FORMAMOS A REDE DE APOIO DAS MULHERES,AONDE ELAS SEMPRE ESTÃO PROTEGIDAS,AJUDAMOS A REALIZAR O 1º CONCURSO DO MISS BELEZA GAY 2011 EM GOIANIA COM APOIO DA PREFEITURA,E FOI REALIZADO EM UM SALÃO DA FACULDADE CATÓLICA DE GOIÁS,RITA DE CÁSSIA DE ARAÚJO A PRESIDENTE DO GRUPO LÉSBICO DE GOIÁS IRÁ LANÇAR O LIVRO (O CONHECIMENTO LIBERTA) QUE ABORDA TODAS AS FRENTES DE ANALIZE E ESTUDO SOBRE O MOTIVO DO PRECONCEITO DOS HOMENS,O GRUPO LÉSBICO DE GOIÁS ESTA UNIFICANDO TODAS AS ONGs DO ESTADO DE GOIÁS PARA AUMENTAR AS CHANCES DE APROVAÇÃO DE LEIS QUE BENEFICIE A TODAS DE NOSSA COMUNIDADE,E TODOS OS CASOS DE HOMOFOBIA ESTA SENDO COMBATIDO COM FORÇA PELA ALIANÇA LGBTGO COM PALESTRAS ,CURSINHOS,DE TODAS AS MANEIRAS POSSIVEIS ESTAMOS ENFRENTANDO A HOMOFOBIA A LÉSBOFOBIA COM O CONHECIMETOS E PAZ .
RITA DE CÁSSIA DE ARAÚJO- PRESIDENTE DO GRUPO LÉSBICO DE GOIÁS
Comente a história
Rosivaldo L. Araujo (actualmente vive em BRAZIL) postado por gay lésbica transgénero bissexual heterossexual leitores para a BRAZIL página do país on 09/07/2010 tagged with no trabalho, ensinar direitos lgbt nas escolas, famílias lgbt, direitos humanos, orientação sexual
link / elo permanente
Há mais ou menos 15 anos trabalho lecionando em escolas da rede municipal de ensino. E, exatamente a cinco anos, engajei-me na organização de uma Associação LGBT em minha cidade.
Antes de estar militando no movimento LGBT a aceitação dos alunos e pais de alunos dava-se sem maiores problemas. Apesar de não ser enrustido, eu não tinha um comportamento assumidamente gay.
Meus problemas começaram quando ficou visível para a sociedade local que eu estava inserido na organização de um grupo GLBT.
As reações partiram inicialmente dos pais de alunos, de forma velada. Os alunos, pelo fato de serem mais autênticos e reproduzirem as impressões que escutam em seus lares, começaram a apresentarem antipatia e desrespeito à minha pessoa.
No âmbito administrativo, os colegas e diretoria tentam minimizar o problema, agindo como se nada estivesse acontecendo. Talvez por medo da discussão de um tema tão controverso.
Comente a história
Bookmark and Share