Home, Asia, Europe, North America, Latin America and Caribbean, Oceania, News, Sitemap
loading map..

BRAZIL

Male to Male relationships: Legal
Punishments for male to male relationships: No law
Female to Female Relationships: Legal
Age of consent: Equal for heterosexuals and homosexuals
Marriage and Substitutes for Marriage: Equal/almost equal substitute nationally recognized

Your Views

Are you LGBTI? We want to hear from you! Help us inform other users of the site with your views on this country. Below is a random question about this country. If it is relevant to you please answer it.

Traveled to BRAZIL? Did you feel comfortable being out while you were there?

The majority of people visiting this site have said It was not an issue

I was very comfortable (0 %) It was not an issue (64%) I hid my sexual orientation while I was there (28%) I was discriminated against because of my sexual orientation (7%)

The Your Stories section is all about you! Please take a minute to tell visitors of the ILGA website about what LGBTI life is like in reality. Please submit your personal story and share your experience!

YOUR STORIES
Post a new story to this section

Readers Experiences

This is what people are saying about life for LGBTI people in BRAZIL...
Siloe Cristina (user currently living in BRAZIL) posted for straight readers on 07/10/2010 tagged with hate crime and violence prevention +15
link
Encaminho aos redatores do blog uma Carta Aberta à sociedade sobre o comportamento do pastor Silas Malafaia em relação ao Homossealidade. Carta de cunho humanitário e racional, que expõe brevemente as condutas não-éticas do Pastor e pede que sua licença de psicólogo seja caçada. Afirmo ainda que o Pasto em questão compara os homossexuais aos nazistas, comportamento que deve ser pensado e refletido pela sociedade, pelo conselho de psicologia, pelas organizações gays, e pelas associações ativistas de direitos humanos.
Para tal realço ainda a Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas onde se afirma:
“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.”
Conto com a colaboração de todos nessa luta pelo respeito e fraternidade.

Carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia
Faz-se necessária alarmar a sociedade brasileira e o Conselho Federal de Psicologia sobre as práticas indevidas do pastor Silas Malafaia. As condutas de Silas Malafaia são claramente homofóbicas e demonstram sua aversão ao comportamento homossexual. Em resposta aos comentários do presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), o pastor Silas compara os gays aos nazistas¹. Deve-se preservar a memória e compreender a profundidade do que representou a morte de mais de 5 milhões de judeus nos campos de concentração, e de 6 milhões de pessoas nas câmaras de gás, além de torturas e perseguições. A guerra nazista foi feita sob a liderança de um homem, e um povo que se viam como superiores e desejavam a aniquilação dos que não se enquadrava em seu sistema de pensamento. O Pastor Silas Malafaia finge ignorar sua influência social no país e continua patricando condutas que incitam a discriminação e a violência. Comportamento que definitivamente não se parece com o de nenhum homossexual que nos jogos de poder opressores/oprimidos representam uma minoria. A comparação feita por Silas Malafaia desrespeita claramente CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO PSICÓLOGO² onde se lê:
“PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
I. O psicólogo baseará o seu trabalho no respeito e na promoção
da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade
do ser humano, apoiado nos valores que embasam a Declaração
Universal dos Direitos Humanos.
II. O psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade
de vida das pessoas e das coletividades e contribuirá para
a eliminação de quaisquer formas de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.”

Além desse fato, suas práticas homofóbicas são proibidas pelo código de conduta ética, e está claro que sua compreensão sobre a mesma, como um comportamento que pode ou não abandonado, já foram banidos pelo Conselho Nacional de Psicologia. Cito ainda:
“DAS RESPONSABILIDADES DO PSICÓLOGO
Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
a) Praticar ou ser conivente com quaisquer atos que caracterizem
negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade ou
opressão;
b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas,
religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito,
quando do exercício de suas funções profissionais;”

Diante desses fatos peço que o Conselho Federal de Psicologia bem como a sociedade não permitam que suas leis sejam claramente desrespeitadas dessa forma, e façam cumprir o regimento do código de ética de psicologia retirando a licença de psicólogo do Pastor Silas Malafaia.

Fonte:
¹ Disponível em:
add response to story
Siloe Cristina (user currently living in BRAZIL) posted for straight readers on 07/10/2010 tagged with hate crime and violence prevention +15
link
Encaminho aos redatores do blog uma Carta Aberta à sociedade sobre o comportamento do pastor Silas Malafaia em relação ao Homossealidade. Carta de cunho humanitário e racional, que expõe brevemente as condutas não-éticas do Pastor e pede que sua licença de psicólogo seja caçada. Afirmo ainda que o Pasto em questão compara os homossexuais aos nazistas, comportamento que deve ser pensado e refletido pela sociedade, pelo conselho de psicologia, pelas organizações gays, e pelas associações ativistas de direitos humanos.
Para tal realço ainda a Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas onde se afirma:
“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.”
Conto com a colaboração de todos nessa luta pelo respeito e fraternidade.

Carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia
Faz-se necessária alarmar a sociedade brasileira e o Conselho Federal de Psicologia sobre as práticas indevidas do pastor Silas Malafaia. As condutas de Silas Malafaia são claramente homofóbicas e demonstram sua aversão ao comportamento homossexual. Em resposta aos comentários do presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), o pastor Silas compara os gays aos nazistas¹. Deve-se preservar a memória e compreender a profundidade do que representou a morte de mais de 5 milhões de judeus nos campos de concentração, e de 6 milhões de pessoas nas câmaras de gás, além de torturas e perseguições. A guerra nazista foi feita sob a liderança de um homem, e um povo que se viam como superiores e desejavam a aniquilação dos que não se enquadrava em seu sistema de pensamento. O Pastor Silas Malafaia finge ignorar sua influência social no país e continua patricando condutas que incitam a discriminação e a violência. Comportamento que definitivamente não se parece com o de nenhum homossexual que nos jogos de poder opressores/oprimidos representam uma minoria. A comparação feita por Silas Malafaia desrespeita claramente CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO PSICÓLOGO² onde se lê:
“PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
I. O psicólogo baseará o seu trabalho no respeito e na promoção
da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade
do ser humano, apoiado nos valores que embasam a Declaração
Universal dos Direitos Humanos.
II. O psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade
de vida das pessoas e das coletividades e contribuirá para
a eliminação de quaisquer formas de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.”

Além desse fato, suas práticas homofóbicas são proibidas pelo código de conduta ética, e está claro que sua compreensão sobre a mesma, como um comportamento que pode ou não abandonado, já foram banidos pelo Conselho Nacional de Psicologia. Cito ainda:
“DAS RESPONSABILIDADES DO PSICÓLOGO
Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
a) Praticar ou ser conivente com quaisquer atos que caracterizem
negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade ou
opressão;
b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas,
religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito,
quando do exercício de suas funções profissionais;”

Diante desses fatos peço que o Conselho Federal de Psicologia bem como a sociedade não permitam que suas leis sejam claramente desrespeitadas dessa forma, e façam cumprir o regimento do código de ética de psicologia retirando a licença de psicólogo do Pastor Silas Malafaia.

Fonte:
¹ Disponível em:
add response to story
add response to story
Bookmark and Share