Home, Asia, Europe, North America, Latin America and Caribbean, Oceania, Notícias, Mapa do site



PT
Início / Secretariado Trans / Brazil / Articles / Brazil: ABGLT congratula pela abordagem da transexualidade na minissérie Brado Retumbante
lendo mapa..

Facebook

Brazil: ABGLT congratula pela abordagem da transexualidade na minissérie Brado Retumbante

in BRAZIL, 01/03/2012

ABGLT vem a público congratular a Rede Globo pela veiculação na semana passada da minissérie Brado Retumbante, em especial a abordagem do assunto da transexualidade e a cena em que a personagem do Presidente Venturi assumiu em cadeia nacional que errou profundamente na vida pessoal em rejeitar o “filho homossexual, por preconceito e intolerância” e que a “rejeição causou ao meu filho sofrimento enorme... quase o mataram”

 Fonte: ABGLT

A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – entidade de abrangência nacional que congrega 257 organizações afins em todo o Brasil, tendo como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população.

Com isto em vista, a ABGLT vem a público congratular a Rede Globo pela veiculação na semana passada da minissérie Brado Retumbante, em especial a abordagem do assunto da transexualidade e a cena em que a personagem do Presidente Venturi assumiu em cadeia nacional que errou profundamente na vida pessoal em rejeitar o “filho homossexual, por preconceito e intolerância” e que a “rejeição causou ao meu filho sofrimento enorme... quase o mataram”. Ainda, o presidente da república pediu “desculpas públicas à minha filha Julie e todos aqueles que já sofreram com essa dor e esperar que possam viver em um mundo mais pacífico e acolhedor” (links abaixo).

A veiculação da minissérie na semana passada foi especialmente oportuna, tendo em visto que 29 de janeiro é o Dia Nacional da Visibilidade Trans. Importante destacar que travestis e transexuais são entre as pessoas que mais sofrem preconceito, discriminação e estigma. Pesquisas realizadas nas Paradas LGBT no Rio de Janeiro (2004), São Paulo (2005) e Pernambuco (2006) revelaram que quem mais sofrem violência física são as travestis e transexuais (72%), comparado com os gays (22%) e as lésbicas (9%). Segundo dados do Grupo Gay da Bahia as travestis e transexuais representam 30% das pessoas LGBT assassinadas nos últimos anos. Proporcionalmente, esse dado é muito grave, considerando que a população de travestis e transexuais é muito menor que a de gays e lésbicas. Na maioria das vezes, as pessoas travestis e transexuais sofrem rejeição da família, abandonam a escola sem terminar os estudos e enfrentam grandes dificuldades de inserção no mercado de trabalho, entre outras iniquidades vivenciadas, de modo a torná-las altamente vulneráveis social e pessoalmente.

Assim, ao abordar esse assunto com tamanha sensibilidade e ousadia, a Rede Globo prestou um serviço de imensurável valor de desmistificação da transexualidade e sensibilização e junto à sociedade em geral – e em especial junto aos pais e mães de filhos LGBT – quanto ao respeito à diversidade, de modo que um dia, nas palavras da personagem do presidente na minissérie, “nada que é humano não seja estranha”.

Parabéns a todos e todas os(as) profissionais pelo belíssimo trabalho. Que a ficção possa estar iluminando a realidade e que um dia quem sabe os mandatórios desse país possam seguir esse exemplo. Pela aprovação imediata da criminalização da homofobia no Brasil e a pela liberação imediata dos materiais educativos do projeto Escola Sem Homofobia, suspensos por pressão da bancada evangélica fundamentalista.

http://video.globo.com/Videos/Player/Entretenimento/0,,GIM1782751-7822-EM+REDE+NACIONAL+PAULO+ASSUME+TER+UM+FILHO+TRANSEXUAL+E+FALA+DO+CONFLITO+COM+A+BOLIVIA,00.html

http://video.globo.com/Videos/Player/Entretenimento/0,,GIM1782742-7822-JULIO+CONVERSA+COM+O+PAI+A+RESPEITO+DE+SUA+SEXUALIDADE,00.html

Bookmark and Share